Tensões no Oriente Médio provocam alta nos preços do petróleo

Dados do Departamento de Energia dos Estados Unidos (DoE) revelam que o acirramento das tensões no Oriente Médio impulsionaram os preços do petróleo nesta quinta-feira (08/02). Segundo edição desta sexta-feira do jornal Valor Econômico (09/02), os ataques israelenses em Gaza e ameaças de bombardeio de navios no Mar Vermelho estão entre as principais razões para este cenário.

O contrato futuro do petróleo Brent para abril fechou em alta de 3%, a US$ 81,64 por barril, enquanto o WTI, referência americana, subiu para março 3,19%, fixando-se o preço de US$ 76,22 pos barril. Nesta quinta, o DoE anunciou que os estoques de gasolina e diesel caíram 7% e 1%, respectivamente, abaixo da média esperada para o período. No momento, conta-se 127,574 milhões de barris de diesel e 250,988 milhões de barris de gasolina armazenados pelo governo americano.

Ataques

Um dia após o premiê israelense Benjamin Netanyahu negar proposta de cessar-fogo do Hamas, Israel intensificou ataques à cidade de Rafah, matando 11 pessoas. Enquanto isso, os houthis, terroristas financiados pelo Irã, continuam ameaçando embarcações no Mar Vermelho. Isso já provocou o cancelamento da rota por empresas marítimas como a Maersk, MSC e Frontline.

Recentemente, drones americanos mataram o comandante de um grupo miliciano responsável pela morte de três militares dos EUA na Jordânia. Para Robert Yawger, analista do Mizuho Financial Group, este confronto ameaça a exportação de 1,8 milhão de barris diários de petróleo iraniano.

Fonte original: Valor Econômico.

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Você precisa estar logado para ter acesso a este conteúdo

Já é assinante?

Ou Cadastre-se